O que é ?

Glaucoma é uma doença ocular crônica que provoca lesão no nervo óptico e alterações no campo visual. Nas suas fases inicias, a doença é silenciosa, sem sintomas, o que retarda seu diagnóstico. Na maioria dos casos, o surgimento do glaucoma é acompanhado do aumento da pressão intraocular, mas também é possível encontrar casos em que a doença se instala em pacientes que não apresentam elevação da pressão interna do olho, chamados de glaucoma de pressão normal.

O interior do olho contém um líquido (humor aquoso) em constante circulação. Este líquido é produzido constantemente, e não se acumula por que é escoado através de uma região denominada ângulo da câmara anterior. Quando este escoamento diminui, há um acúmulo desse líquido, que aumenta a pressão dentro do olho. O glaucoma ocorre quando essa pressão danifica o nervo óptico, prejudicando o envio dos estímulos visuais ao cérebro.

O portador de glaucoma, se não tratado adequadamente, começa a perder a visão periférica (consegue enxergar bem os objetos à sua frente, mas não o que está nas laterais). Nos estágios mais avançados, a visão central também é atingida, podendo levar a cegueira irreversível. Quanto mais cedo a doença for diagnosticada e tratada, maiores são as  chances de se evitar a perda da visão.

Causas

É fundamental que pessoas que apresentam algum risco de desenvolver a doença sejam regularmente examinadas por um oftalmologista. Embora não se consiga afirmar exatamente por que uma pessoa desenvolve glaucoma, estudos mostram que ele é mais frequente em pessoas com:

– Indivíduos com mais de 40 anos de idade – o risco de ser portador de glaucoma aumenta significativamente com a idade

– Histórico de glaucoma na família

– Raça negra – os indivíduos da raça negra tendem a desenvolver o glaucoma numa idade inferior à média e a probabilidade de ser afetada é maior em relação aos brancos

– Miopia Elevada – indivíduos míopes (principalmente aqueles com grau mais alto) também estão sujeitos a um risco maior

– Pressão ocular elevada

– Pacientes que tiveram trauma ou inflamação ocular

– Usuários crônicos de corticóides

Sintomas

Em geral o glaucoma não apresenta sintomas. Por isso você deve consultar regularmente seu oftalmologista que fará diversos exames, como: fundo de olho, medida da pressão intraocular e exame de campo visual. Importante: consulte seu oftalmologista periodicamente, e faça a prevenção do glaucoma!

Tratamento

O tratamento varia de caso a caso, mas consiste basicamente na redução da pressão ocular através do uso de colírios, laser ou até cirurgia quando necessário. Atualmente temos empregado com muito êxito no HMO o tratamento a laser – trabeculoplastia – para casos de glaucoma de ângulo aberto. Consulte o especialista para mais informações.

Consulte seu oftalmologista periodicamente, e faça a prevenção do glaucoma.

Fonte: Conselho Brasileiro de Oftalmologia e ABRAG